Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Perspectivas & Olhares na planície

Perspectivas & Olhares na planície

10.06.18

E dia do Alentejo é quando?

/p.
Hoje é dia de Portugal e o Marcelo que discurse porque Costa não sabe bem o que dizer, por um lado quer destacar que todos os indicadores de crescimento económico são muito positivos, por outro lado tem medo que os professores escutem e que lhe exijam que honre os compromissos feitos. Nem sei porque esperam estes alguma coisa pois qualquer português a esta altura já sabe que os únicos compromissos que são para cumprir em Portugal referem-se a contratos danosos feitos com o estado (...)
21.12.17

Fim de Ano recheado de GAMBAS RARISSIMAS

/p.
No Natal normalmente come-se bacalhau, polvo, peru… mas este ano só se fala das gambas. O ano termina com o escândalo das Raríssimas, a presidente supostamente comprava gambas, vestidos caros e distribuía alguns centenas de milhares de euros em salários para a família.E os Portugueses descobrem … lol… o que todos já sabiam! Que as IPSS são INSTITUIÇOES PRIVADAS de SOLIDARIEDADE FAMILIAR SUBSIDIADAS PELO ESTADO. Servem para dar emprego aos familiares e amigos, obter (...)
03.11.17

E se fosse no Alentejo?

/p.
“Chuva apanha autoridades desprevenidas numa altura em que finalmente estavam com tudo a postos para a época de incêndios” Morreram mais de cem pessoas nos incêndios este ano! Faltou, na maioria das situações, um atempado e coordenado aviso às populações, corte eficaz das vias de trânsito e redireccionamento dos que por elas transitavam. Não se admite que com aquele cenário a A25 continuasse aberta! Depois de visionadas as imagens captadas nos telemóveis pelos que nela (...)
11.07.17

Viva o verão

/p.
Viva o verão num país onde a Proteção Civil não funciona, onde o exército não sabe nem defender as suas armas e onde também a Educação está em maus lençóis. Vejamos uma ata de um Conselho de Turma de Avaliação que circula na NET…(se não é verdade não está muito distante da mesma “Relativamente ao aproveitamento, o Conselho de Turma caracterizou-o como hilariante, uma vez que os níveis atribuídos pouco têm a ver com o desempenho dos alunos, mas sim com outros (...)
30.10.16

Eu e os políticos (José António Saraiva)

/p.
Algumas coisas que ficamos a saber depois de ler o livro do Saraiva:   - Álvaro Cunhal dissera à tia do Saraiva a seguinte frase no fim da vida “Achas que eu estou em idade de mudar de opinião?”, que, segundo Saraiva, esta interpretou como uma confissão de que ele já não acreditava no comunismo (Cunhal já morreu e não pode desmentir). - António Costa era tratado pela mãe por Babouche. - António Guterres é descrito pelos amigos como um homem que fala demais,” uma picareta (...)
05.08.16

E se Trump ganha as eleições?...

/p.
Foi retratado sempre como um “palhaço”, alvo de piadas fáceis, alguém que nunca conseguiria sequer ganhar as eleições no partido Republicano quanto mais tornar-se presidente dos Estados Unidos, mas agora surge empatado com a candidata dos Democratas e por isso passível de ser eleito.Se isto é possível num país visto como modelo na mistura cultural, um “melting pot”, não irá também suceder numa Europa menos propensa à assimilação de outras culturas, numa espiral de (...)
23.05.16

Escolas públicas e escolas privadas com contrato de associação: o suposto direito de escolha de alguns ou o velho apartheid educativo

/p.
Há escolas publicas a funcionar a meio gás e ao lado escolas privadas com turmas financiadas pelo Estado. E os portugueses perguntam: - Porquê esta dupla despesa?! Se os pais preferem as privadas porque não fechar as públicas? - dirão alguns.Mas não é preciso ser muito inteligente para perceber que o que muitos pais preferem para os seus filhos são turmas sem alunos de outras etnias ou problemáticos… Se olharmos com atenção para as gravações das manifestações ou para as (...)
27.03.16

Apontamentos sobre o “Alentejo Prometido” do Henrique Raposo

/p.
  Comprei o livro do Raposo, o polémico “Alentejo Prometido”, e confesso que não vi motivo para tanta celeuma. Há partes realistas, há conjeturas (e de algumas discordo), e há factos com os quais me identifico, mas que não penso que possam ser imputados a uma “cultura alentejana”.Para começar é difícil perceber o que é ser alentejano, ou algarvio ou beirão em (...)