14 de Abril de 2018

A conhecida história da passarola do Padre Bartolomeu de Gusmão foi reinventada nada mais nada menos pelo nos querido Primeiro-Ministro António Costa! Ora vejam o cartoon na revista The Economist:

Notícias ao MinutoEis o cartoon que ilustra o artigo publicado sobre o Governo português© The Economist

Retirado do site: Notícias ao Minuto

 

publicado por /i. às 15:35
21 de Fevereiro de 2018

Dizem que um quinhão da Geringonça esteve por Serpa ( a 18 de Fevereiro de 2018):

Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) está hoje, em Serpa para participar no debate “Monoculturas e o Deserto aqui tão perto”.

Numa altura em que o Alentejo atravessa períodos se seca severa, os olivais intensivos continuam a ser a prática mais comum na região, que preocupa o BE. (Fonte: Rádio Pax)

 

publicado por /i. às 12:40
03 de Fevereiro de 2018

De acordo com esta notícia: Caixa Geral de Depósitos volta a subir comissões, vale a pena recordar este post de 16 de Novembro de 2017:

 

 

"Nenhum homem recebeu da Natureza o direito de dirigir os outros. A liberdade é um presente do céu, e cada indivíduo tem o direito de a utilizar como entender, tal como a razão."

Diderot, Enciclopédia

 

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) trata os seus clientes tal como a sociedade ateniense (século V a. C.), tratava os seus escravos: sem quaisquer direitos e com a obrigação de trabalhar para o Estado ou para os seus donos. Os clientes do banco do Estado têm de pagar os sucessivos desvarios de diversas equipas de gestão que passaram pela Caixa que a deixaram em

 

publicado por /i. às 15:58
16 de Novembro de 2017

 

"Nenhum homem recebeu da Natureza o direito de dirigir os outros. A liberdade é um presente do céu, e cada indivíduo tem o direito de a utilizar como entender, tal como a razão."

Diderot, Enciclopédia

 

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) trata os seus clientes tal como a sociedade ateniense (século V a. C.), tratava os seus escravos: sem quaisquer direitos e com a obrigação de trabalhar para o Estado ou para os seus donos. Os clientes do banco do Estado têm de pagar os sucessivos desvarios de diversas equipas de gestão que passaram pela Caixa que a deixaram em

 

publicado por /i. às 17:33
16 de Fevereiro de 2017

A diminuição da taxa de desemprego coincide com o aumento dos beneficiários do rendimento de inserção social e com o regresso aos cursos de formação co-financiados para desempregados inscritos no IEFP. Os beneficiários do RSI, do subsídio de desemprego e os inscritos no IEFP sem subsídios sociais atribuídos ou são colocados nas IPSS's, ou nas câmaras municipais, ou nos cursos de formação. Logo, são considerados colocados e deixam de pertencer à taxa de desemprego, ou seja, são os falsos empregados. Todos ficam contentes e caladinhos: o Governo para as malditas aparências e o PCP e BE com o descarado aumento dos beneficiários das prestações sociais não contributivas (regra geral quem realmente precisa não está a beneficiar, como é recorrente acontecer!). Assim, infelizmente, acho que há ilusionismo na estatística de desemprego divulgada e esta desconfiança é reforçada com a entrevista da presidente do Banco Alimentar, Isabel Jonet:

“Melhoria da economia ainda não chegou aos mais carenciados”

Ao banco alimentar continua a chegar o mesmo volume de pedidos sentido pelas populações com mais baixos rendimentos, diz Isabel Jonet, a quem o número de pedidos de ajuda para alimentos não abrandou no último ano.

Apesar da descida do desemprego, da lenta retoma da economia e do alívio na percentagem de pessoas em risco de pobreza, os pedidos de ajuda que chegam ao Banco Alimentar não têm diminuído (Jornal de Negócios)

publicado por /i. às 12:46
29 de Dezembro de 2016

A última exigência duvidosa do PCP e do BE faz lembrar uma anedota, em abono da verdade é uma meia-anedota, pois já se passou situações semelhantes neste Portugal. Então a dita anedota reza assim:

"Havia um comício e um grupo de homens que pouco gostava de trabalhar resolve ir assistir ao comício, no qual estava um sindicalista a discursar: agora com o 25 de Abril vai haver trabalho para todos, mas para que haja trabalho para todos, os desempregados só podem trabalhar um mês por ano. Um membro desse tal grupo de homens perguntou: Sr do Sindicato tenho uma dúvida trabalhamos um mês e não temos férias?"

E, assim, está o Partido Comunista e o Bloco de Esquerda com a inclusão de mais férias e feriado de Carnaval...

publicado por /i. às 13:01
P&O na planície
Neste blogue poderá encontrar perspectivas e olhares de todos os temas que pululam na nossa sociedade e na nossa vida quotidiana, em particular. Uma Certeza, tudo poderá ser passível de ser perspectivado e olhado e levar a chancela no Perspectivas & Olhares na planície, basta Acontecer, Existir.... (...)

Ler Apresentação
últ. comentários
@ Sara os livros eram novos. Livros de escritores ...
Eram livros novos? Esses não podem ter muito desco...
@Malik tem toda a razão! Obrigada pela visita.
É triste... tanto milhão para os accionistas a sai...
Boa tarde, se reparou nos tags foi um post irónico...
Aparentemente de futebol percebes 0, caso contrari...
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
arquivo
2018:

 J F M A M J J A S O N D

2017:

 J F M A M J J A S O N D

2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

facebook
Localização
Baixo Alentejo
Contacto
Email
blogs SAPO