Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Perspectivas & Olhares na planície

Perspectivas & Olhares na planície

Dom | 19.11.17

Serpa: gastos desnecessários...

/i.

Detalhe do Contrato 

Data de publicação no BASE 13-06-2017
Tipo(s) de contrato Aquisição de serviços
Tipo de procedimento Ajuste directo
Descrição Eleboração do projeto para Monumento ao Cante Alentejano
Fundamentação Artigo 20.º, n.º 1, alínea a) do Código dos Contratos Públicos
Fundamentação da necessidade de recurso ao ajuste direto (se aplicável) ausência de recursos próprios
Entidade adjudicante - Nome, NIF Município de Serpa (501112049)
Entidade adjudicatária - Nome, NIF José manuel da Silva Teixeira (138142661)
Objeto do Contrato Eleboração do projeto para Monumento ao Cante Alentejano
Procedimento Centralizado -
CPV 71242000-6, Preparação de projecto e concepção, estimativa de custos
Data de celebração do contrato 09-06-2017
Preço contratual 9.050,00 €
Prazo de execução 10 dias
Local de execução - País, Distrito, Concelho Portugal, Beja, Serpa

Fonte: BASE

O aviso está feito: o valor de 9.050,00 € é a estimativa de custos, logo o projeto para o monumento ao Cante Alentejano vai ser mais caro ao contribuinte serpense.

 

Ora, se todos os anos promovem o Prémio Ibérico de Escultura Cidade de Serpa não podiam aproveitar esta iniciativa e pedir aos artistas participantes que  idealizassem uma escultura que simbolizasse e homenageasse o Cante Alentejano. Justificaram o pedido da contratação do escultor por ausência de recursos, na verdade não sabem fazer sinergias com as iniciativas que promovem. Desaproveitamento sinónimo de gastos desnecessários e para municípios pequenos como o de Serpa é uma forma de gestão dos dinheiros públicos inadmissível. Quando vai dinheiro para algo supérfluo, fica a faltar para a resolução de problemas prioritários para o cidadão que vive em Serpa.