Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Perspectivas & Olhares na planície

Perspectivas & Olhares na planície

P&O na Planície: Bom Fim de Semana 55

Excepcionalmente a rubrica: P&O na Planície: Bom Fim de Semana 55, saiu à Segunda-Feira!

20200408_155432.jpg

P&O na Planície: Bom Fim de Semana 55 = Em 2002 Eduardo Ferro Rodrigues candidatou-se ao lugar de Primeiro-Ministro de Portugal, perdeu para o Durão Barroso.

Escreveu-se certo por linhas tortas: livramo-nos de um Primeiro-Ministro jactante (enjoativo) e teimoso (perigoso).

O destino não quis, porém quis o António Costa: Ferro Rodrigues saiu da prateleira directamente para a Presidência da Assembleia da República. E assim temos um Presidente da Assembleia da República ufano (ad nauseam) e teimoso (estouvado).

Vai acontecer a sessão solene comemorativa do 25 abril de 1974 na Assembleia da República, Ferro Rodrigues dixit: "o 25 de Abril tem de ser e vai ser celebrado". Por mim, neste tempo de contenção social e principalmente contenção na entrada de impostos directos e indirectos para a carteira do Governo,  faz bem pedir aos contribuintes mais uns trocos para pagar as horas extras dos funcionários do Parlamento que terão de comparecer no sábado para concretizar a festa especial do Ferro Rodrigues.

É engraçado que o Jair Bolsonaro e o Donald Trump  dizem ou têm algum gesto aparecem que nem formigas a adivinhar trovoada, a gritar até à rouquidão: populistas! São os mesmos que incentivam e apoiam esta sessão populista que sempre foi, porém este ano assumirá o clímax do populismo. O populismo é transversal: tanto aparece empunhado pelos políticos de direita como  pelos políticos de esquerda, ao contrário do que o Presidente da AR quer instituir.

Em tempos expcionais que estamos  a viver comandados por um vírus altamente contagioso, celebrar o 25 de Abril de 1974 sim, tornar a data numa festa bacoca, não! Quando estamos voluntária ou involuntariamente confinados em casa para o bem maior: a nossa vida; chega-nos exemplos de populismo ao mais alto nível, mas que ninguém admite. Só os outros é que são populistas. Nós somos os guardiões da democracia e da liberdade. A deles, é claro. A propósito de populismo. Não vai faltar, nem a festa se fazia!

Há um provérbio chinês que ilustra na perfeição este momento da nossa democracia, que podia e devia ser muito melhor: “as más companhias são como um mercado de peixe; acabamos por nos acostumar ao mau cheiro.”

 

No próximo Sábado, na Cerimónia de Comemoração do 25 de Abril,  não teremos cravos vermelhos naturais a ornamentar o hemiciclo, teremos, isso sim,  cravos com o vermelho invertido (efeitos negativos).

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    /i. 21.04.2020

    Festejar os feriados per si não acho populismo. No entanto, sou a favor de cerimónias curtas para estes feriados simbólicos que se revestem de importância para conhecer e se possível, neste caso, não voltar a viver em ditadura. A forma como "assaltam" o feriado para se vangloriar e auto-promoverem, ou seja, obterem proveitos para si é que é populismo.

    Sim, o Ferro Rodrigues disse essa frase depois, quando acho que o deputado João Almeida abordou o "programa de festividade".
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.