Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Perspectivas & Olhares na planície

Perspectivas & Olhares na planície

10 comentários

  • Imagem de perfil

    /i. 19.05.2019

    Olá, Sarin! São eleições europeias e têm discutido muito pouco Europa. E é lá que a nossa vida é decidida, estamos dependentes do dinheiro europeu como quando entramos. Devíamos estar já a contribuir do que a receber. Andamos a discutir o recebimento de fundos com aqueles países que entraram há poucos anos.
  • Imagem de perfil

    Sarin 19.05.2019

    E não andamos a discutir, nem sequer o próprio parlamento, que União queremos e os seus desafios.

    Continuamos com uma visão economicista - adaptamos os projectos ao dinheiro, quando deveríamos definir projectos e depois adaptar o dinheiro...
  • Imagem de perfil

    /i. 19.05.2019

    Exacto. Começam a casa pelo telhado. E coisas que realmente precisamos e que consigamos ter dinheiro para fazer as manutenções. Não é depender a manutenção, por exemplo de uma auto-estrada, da submissão de uma candidatura aos fundos europeus. É que nós somos um país pobre, com vícios de ricos.
  • Imagem de perfil

    Sarin 19.05.2019

    Discordo: nós somos um país rico onde o Estado e a maioria dos cidadãos são pobres porque alguns cidadãos têm vícios ricos acima das, e com as, nossas possibilidades.
  • Imagem de perfil

    /i. 19.05.2019

    Sim, os cidadãos portugueses têm essa postura. Portugal ocupa acho eu sétimo ou oitavo lugar dos países mais pobres. A riqueza que criamos não chega para nos sustentar. Ou seja, o nosso passivo supera em muito os ativos. O nosso pib devia ser muito, mas muito superior ao que temos para pelo menos termos as contas equilibradas. Já nem digo ter excedente. Está coisa de basear a reanimação da economia com o consumo exagerado. Torna a nossa balança comercial deficitária. Pois temos de importar tudo. Exportamos mas não é o suficiente para equilibrar a balança comercial. Por exemplo: exportamos o carro feito cá, mas tivemos de importar a maioria das componentes porque não temos.
  • Imagem de perfil

    Sarin 19.05.2019

    Não temos políticas de longo prazo: nem as pensamos nem damos continuidade às implantadas. Aquilo a que se chama Concertação Económica e Social só é consultada e atendida para efeitos de salário mínimo e distribuição de apoios.
    Não se discute porque não há um programa para o país, a governação é à vista e a corrupção generalizada (do "jeitinho" ao tráfico de influências só varia a altura da cadeira).
    Pegando no exemplo, o molde das peças é nacional e a montagem é nacional, o resto não - porque não temos escala. O erro é, talvez, fazermos moldes descoordenadamente para vários mercados.

    Acho que não temos de produzir tudo o que consumimos - temos é de produzir cá e gerir por nós o que nos é essencial: energia, alimento. E organizarmos a nossa produção, mais do que organizarmos a nossa exportação.
  • Imagem de perfil

    /i. 19.05.2019

    Concordo. E por vezes esquecemos que deve existir também uma política de teto para os salários mais altos, nomeadamente nos cargos de nomeação para as empresas públicas. E claro a definição dos lucros e bônus. Quer dizer repartem os lucros ou o bônus por ter atingido o objetivo e a empresa aumenta o passivo?! Na pt o zeinal Bava, o Henrique granadeiro, este então que tem passado pelos pingos da chuva. Tem bons amigos na imprensa.
  • Imagem de perfil

    Sarin 19.05.2019

    Têm bons amigos na imprensa?

    Já foste tentar perceber quem são os donos da imprensa? A ERC diz que tem uma base de dados... No entanto, se conseguires seguir uma ou outra das accionistas indicadas, vês as voltas que o capital dessas empresas, cujo capital pertence a outras empresas que por sua vez pertencem a uma holding, dá.
  • Imagem de perfil

    /i. 19.05.2019

    Expressei-me mal. O que quero dizer com boa Impresa é que vasculham e bem, pois são casos de pessoas que tinham um fato da feira e saem da política com com fatos da Armani, e o Henrique suavemente veio alguma notícia sobre o seu patrimônio adquirido e dos bônus que devia já ter devolvido. Também foi fazer uma figura linda à comissão de inquérito no parlamento e pouco se disse. Ele teria de dar e aval para a pt investir na ges já falida. Ou seja ele lesou o estado pois a pt era pública na altura. Era nesse sentido que me referia.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.