Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Perspectivas & Olhares na planície

Perspectivas & Olhares na planície

Sex | 29.12.17

Hospital de Beja: obstetra não há, Marcelo não pode...

/i.

"Mulher se queres parir, guarda para Abril" , não será preciso esperar tanto, no entanto, a 31 de Dezembro não será possível a existência de nascimentos na maternidade do Hospital José Joaquim Fernandes com acompanhamento especializado, pelo menos de acordo com esta notícia: no dia 31 não se pode nascer em Beja.

Se alguma criatura quiser vir ao mundo logo no dia 31 de Dezembro terá de ir nascer ao Alto Alentejo, pois o o único Hospital do Baixo Alentejo com maternidade não terá equipa com obstetra para receber quiçá o primeiro bebé do ano de 2018. Todos os anos Lisboa, Porto e Coimbra disputam fervorosa, chegando a ser furiosamente o troféu do nascimento do primeiro bebé do novo ano. O hospital de Beja é muito pacífico e não gosta de entrar nessas guerras pacóvias de ter no seu curriculum o nascimento da primeira criatura do novo ano, por isso, nem tem equipa especializada escalada para estes dias.

Infelizmente, o Presidente Marcelo está ainda internado, caso contrário viria ao Hospital de Beja em socorro às criaturas que decidissem nascer a 31 de Dezembro em Beja. Mas, dado que o Presidente Marcelo está em convalescença não poderá vir "dar uma mãozinha" na Maternidade do Hospital de Beja, não resta alternativa às criaturas mais difíceis de nascer chorarem pela primeira vez na vida no Hospital de Évora, nas melhores expectativas, pois pode acontecer chorarem em pleno IP 2 / Nacional 18.

Beja entra com o pé esquerdo em 2018, como sempre. Apesar de haver muito fogo de artifício que serve apenas para celebrar a entrada do novo ano, porque não há mais nada para festejar na capital de distrito do Baixo Alentejo que tem apresentado sucessivamente o diagnóstico de definhamento crónico. Desta vez, nem o Presidente Marcelo nos pode livrar da influência hegemónica da cidade de Évora -  uns acharão positiva, outros acharão negativa - , que se tem enraizado paulatinamente, infeliz ou felizmente, lá está, dependendo da perspectiva de cada um.

Ainda, segundo a mesma notícia tem havido muitos dias iguais a este 31 de Dezembro ao longo deste ano de 2017, e nem tínhamos dado conta, uma vez que aparece pouco nos jornais ou nos telejornais das oito este problema do hospital de Beja não ter obstetras suficientes para assegurar o serviço de obstetrícia e ginecologia todos os dias. Por isso, é urgente deixar de ter um serviço intermitente das equipas especializadas que, sendo assim, vai continuar em 2018 se nada for feito pelo Ministério da Saúde e pela administração nomeada do Hospital de Beja.

Certamente, Beja estaria muito melhor se mais pessoas comungassem o pensamento do poeta Manuel Alegre, em Alentejo e Ninguém: "Em Beja não vereis o arrebique/a sua escrita é mais sem ornamento./Estética do recato. Poesia que/vem de dentro./Onde outras serão excesso Beja é pouco/mais de sombra que sol é seu circuito./Procurai no recanto e no reboco/vereis então que Beja é muito".

Qui | 21.12.17

Fim de Ano recheado de GAMBAS RARISSIMAS

/p.

No Natal normalmente come-se bacalhau, polvo, peru… mas este ano só se fala das gambas. O ano termina com o escândalo das Raríssimas, a presidente supostamente comprava gambas, vestidos caros e distribuía alguns centenas de milhares de euros em salários para a família.

E os Portugueses descobrem … lol… o que todos já sabiam! Que as IPSS são INSTITUIÇOES PRIVADAS de SOLIDARIEDADE FAMILIAR SUBSIDIADAS PELO ESTADO. Servem para dar emprego aos familiares e amigos, obter abatimentos e reembolsos no IRS de dinheiro que nunca chega a ser doado (a não ser para o próprio) e servem ainda como montra para as figuras públicas tirarem fotografias e se fingirem de bons samaritanos.

A Igreja Católica é pródiga nessas IPSS, veja-se a quantidade de lares, creches, escolas que tem espalhados pelo país, dos quais não paga nenhum imposto e ainda recebe do Estado e das famílias que delas necessitam.

A União das Misericórdias ficou com o dinheiro doado pelos portugueses após a tragédia dos incêndios mas, pelo que já se percebeu, o que é necessário está a ser custeado na sua maioria do Orçamento de Estado, ou seja novamente do bolso dos portugueses.

É urgente mais fiscalização a todas as empresas (sim porque são empresas) que recebam dinheiros públicos ou donativos que levaram a abatimento no valor do IRS a cobrar (TODAS). E sinceramente nem deveriam ter direito a nenhum abatimento no IRS pois assim sendo não se pode chamar verdadeira solidariedade. E o mesmo acontece com as Câmaras Municipais que decidem usar o dinheiro público para cabazes, donativos extras e festarolas duvidosas a que chamam eventos culturais.

É muito fácil ser solidário com o dinheiro de todos os portugueses, que é o que mais acontece por cá.

gambas.jpg

 

Sex | 15.12.17

Natal: Extravagâncias compradas com o dinheiro de todos nós (3)

/i.

As extravagâncias continuam:

  1. O Município de Silves faz aquisição de cabazes de Natal destinados aos Funcionários do Município de Silves (valor gasto: 33.989,06 €);
  2. O Município de Vila Franca de Xira gosta mais de vales de compras de oferta de Natal para os funcionários do Município de Vila Franca de Xira e Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (valor gasto: 9.782,46 €);
  3. O Município do Seixal gasta 5.019,00 € em bolo rei para oferta;
  4. O Município de Valpaços gasta 8.610,00 € em Polares;
  5. A empresa Tratolixo oferece Cartões Vale de Compras – Natal 2017 (valor gasto: 16.980,00 €);
  6. Serviços Intermunicipalizados de Águas e Resíduos dos Municípios de Loures e Odivelas oferece brinde de natal aos funcionários de 6.120,00 €.

NB: Falta acrescentar o IVA!

E o contribuinte a pagar!!

Sex | 15.12.17

Natal: Extravagâncias compradas com o dinheiro de todos nós (2)

/i.

 

A Câmara Municipal de Oeiras gosta mesmo dos seus funcionários: é Aquisição de serviços de apoio à festa de Natal para os colaboradores do Município de Oeiras (valor gasto: 41.188,00 €); é Locação de tendas para a festa de Natal dos funcionários do Município de Oeiras (valor gasto: 36.850,00 €); é Aquisição de presentes para oferta no Natal aos filhos dos colaboradores do município, com idade até aos 12 anos (valor gasto: 20.315,50 €). E não devem ficar por aqui as despesas para os seus queridos funcionários e respectiva família!!!

E ainda há a questão dos cabazes de natal que em 2016 foram 2775 (valor gasto: 69.180,75 €) e em 2017 nem aumentaram nem diminuíram o número de cabazes pedidos: 2775 (66.933,00 €)! Resta saber para quem são estes cabazes de natal!!

NB: Falta acrescentar o IVA!

 

E o contribuinte a pagar!

Qui | 14.12.17

E o "dito cujo" lavado com água de malvas, Hum?

/i.

Raríssimas: Ex-presidente só sai com “indemnização e subsídio de desemprego”

 

É preciso ter muita lata, pois vergonha já sabemos que alegadamente não tem! 

Há um dito do nosso país irmão, país que conheceu bem e em boa companhia à conta dos mecenas e contribuinte português, que reza assim: quem é lagartixa, nunca chega a jacaré! Roupa, jóias caras não afastam  o charme de quinta categoria que transpira!

Qui | 14.12.17

O Trump está a fazer escola em Portugal

/i.

António Costa: "Este ano foi um ano particularmente saboroso para Portugal"

Com mais um jotinha como Primeiro-Ministro de Portugal não podemos esperar mais do que     parvoíces sem nexo, quando morreram pessoas tragicamente abandonadas nos incêndios. Fora os outros problemas: viagens pagas ao europeu de futebol, caso tancos, governantes envolvidos no  caso da associação raríssimas financiada com excessivos dinheiros públicos sem fiscalização... Este jotinha também não serve para governar Portugal.

Qui | 14.12.17

Natal: Extravagâncias compradas com o dinheiro de todos nós

/i.

Começou a corrida aos gastos desnecessários nesta época natalícia realizados pelas câmaras municipais, por exemplo, a Câmara Municipal de Almada é só prendas:

NB: Falta acrescentar o IVA!

E o contribuinte a pagar!

Pág. 1/2