Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Perspectivas & Olhares na planície

Perspectivas & Olhares na planície

Qua | 28.03.12

Será que o Cavaco Silva anda a comprar candeeiros a petróleo?

/i.

Com a mísera reforma que recebe, certamente, o Cavaco Silva anda a contribuir para a dura nova realidade portuguesa: o aumento das vendas de candeeiros a petróleo, segundo relata Jornal i:

 

 "O candeeiro a petróleo caiu em desuso nos anos 60 em Portugal, mesmo nas aldeias mais remotas, onde a electricidade foi um luxo que tardou a chegar. Em pleno século xxi, com o agravamento da crise económica, o candeeiro a petróleo regressa em força a muitos lares portugueses, principalmente nas zonas suburbanas do país. (....)

 

Quando lhe perguntamos se o seu estabelecimento vende muitos candeeiros a petróleo, Carlos Silva explica o inesperado sucesso de vendas de forma lapidar: “Encomendo aos 150 candeeiros de cada vez e desaparece tudo.”

“Algumas pessoas têm vergonha quando vêm comprar candeeiros a petróleo para iluminação e dizem que é para decoração, mas na semana seguinte cá estão de novo a comprar mais um litro de petróleo”, diz, acrescentando que um candeeiro completo custa 40 euros.

Mas vendem-se assim tão bem?, insistimos: “Se se vendem bem? Ó amigo, o que vier desaparece logo!”

Carlos Silva garante que há pessoas em situação ainda pior e que nem candeeiros a petróleo usam em casa. “Tenho uma cliente que já só usa velas para iluminação. Só gasta um pouco de gás para cozinhar. Para comer, nem de noite usa electricidade.  (...)"

 

Ler o resto da notícia aqui

 

 

Seg | 26.03.12

Banda Sonora do Trágico Governo Passos Coelho / Paulo Portas: " Sou Português (E Tenho Orgulho)"

/i.

O tema " Sou Português (E Tenho Orgulho), do cantor Toy, assenta que nem uma luva no nosso Ministro Álvaro Santos Pereira. Porquê? Simples a resposta: todos apontam o dedo ao Álvaro. É no Parlamento, é nos artigos dos fazedores de opinião, é na classe dos iluminados e consequentes, vira-casacas e no fundo os vampiros do ajuste directo (cunhas, dinheiros públicos nas suas empresas, fui clara?); dizem eles que é um emigrante, que não conhece os usos e costumes dos portugueses e principalmente, os hábitos da classe política e dos parasitas que gravitam à volta dela. Uns terão razão, uns assim - assim e outros nem por isso, todavia, o Álvaro lá se desdobra e volta e meia multiplica-se em explicações - capacidade que aperfeiçoou com as mil e umas tarefas do Ministério maior que ele -, "eu sou português e tenho muito orgulho nisso"; mas todos fazem  ouvidos de mercador e continuam a menosprezar e a ignorar o pobre Álvaro.

Assim, como o seu Ministério transformou-se numa espécie de agência de relações públicas do Ministro Gaspar, do Ministro Relvas e das comissões que inventam para recrutarem os seus boys; o pobre Álvaro pode cantarolar o tema do Toy e enviar para os iphones e ipads de todos aqueles que não fazem caso das suas justificações.

 

Seg | 26.03.12

Bendita sejas, Parque Escolar E.P

/i.

É de extrema justiça enaltecer a enorme importância do trabalho desenvolvido pela Parque Escolar.

Nestes dias, é politicamente incorrecto defender a Parque Escolar. Gastou-se muito dinheiro? Gastou-se. Os orçamentos deveriam ter sido mais rigorosos e menos despesistas? Podiam.

A única verdade é esta: o antigo Liceu de Beja mais parecia as obras de Santa Engrácia. O mal amado programa de reabilitação e modernização das escolas secundárias foi a tábua de salvação da Escola Secundária Diogo de Gouveia e veio pôr o ponto final às constantes obras pontuais e por vezes, superficiais, dado que não atribuíam recursos financeiros suficientes para levar a cabo obras de requalificação profundas; se a escola fosse uma auto-estrada, era dinheiro que nunca mais acabava, enfim é o país que temos.

O cúmulo da estupidez chegou até à extraordinária informação de, para eles, ser monstruoso pagar as obras de requalificação das escolas até 2030. Pois, pois, como são escolas é uma catástrofe, no caso das auto-estradas, não tem importância o prazo dilatado do pagamento dos empréstimos.

Se persistem as dúvidas da mais-valia do louvado programa de modernização da rede pública de escolas secundárias trouxe para o antigo Liceu e para a cidade de Beja, seguem as fotografias comparativas:

 

ANTES

 

 

 

Qua | 21.03.12

Loja Social em Beja: Entre (E) Ajude

/i.

" Entre (e) Ajude dá o nome à nova loja que inaugura a 15 de fevereiro no Mercado Municipal de Beja e prepara os convidados para o que importa na visita a esta loja social: entrar e ajudar ou entreajudar. É que nesta loja especial, ao comprar está a ajudar quem mais precisa e quem mais precisa poderá comprar a preços simbólicos. A Loja Social – Entre (e) Ajude, pretende dar resposta a necessidades essenciais e prioritárias das famílias mais vulneráveis, através da reversão das vendas em “causas sociais”. Este é um projeto do Município em parceria com a Fundação S. Barnabé - a entidade gestora do projeto." 

 

 

 

Ter | 20.03.12

É oficial: chegou a PRIMAVERA

/i.

 

Autor: Nicola di Nunzio

 

GLÓRIA

 

Depois do Inverno, morte figurada,

A primavera, uma assunção de flores.

A vida

Renascida

E celebrada

Num festival de pétalas e cores.

 

Miguel Torga

 

 

 

Autor: Nicola di Nunzio

 

Olhos postos na terra, tu virás

no ritmo da própria primavera,

e como as flores e os animais

abrirás as mãos de quem te espera.

 

Eugénio de Andrade

 

 

Autor: Nicola di Nunzio

 

FLORES

 

Era preciso agradecer às flores

Terem guardado em si,

Límpida e pura,

Aquela promessa antiga

Duma manhã futura.

 

Sophia de Mello Breyner

Dom | 18.03.12

Sociedade Civil (RTP2): Debateu-se a Barragem de Alqueva e a EDIA recusou-se a ir...

/i.

... Porquê?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(clicar na imagem para ver o programa)

 

É compreensível, o presidente nomeado não querer participar no programa; está fechado no gabinete a estudar o que é, onde fica e para que serve a Barragem de Alqueva. Porém, não havia ninguém, mesmo ninguém minimamente informado para representar a Edia e discutir o tema: Que aproveitamento é feito do Alqueva?

Seg | 05.03.12

Patrocínios de luxo no IX Congresso do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público

/i.

A única conclusão do IX Congresso do Ministério Público é a seguinte: a consolidação da relação perigosa e suspeita entre o Ministério Público e a banca portuguesa.  

Não foi um, nem dois, muito menos três, mas quatro, os bancos a patrocinar – tem graça – as temáticas do IX   Congresso:  Justiça, Cidadania e Desenvolvimento.

 

 

Causa-me estranheza e incompreensão o Ministério Público ter sindicato:

 

Artigo 219.º
Funções e estatuto

1. Ao Ministério Público compete representar o Estado e defender os interesses que a lei determinar, bem como, com observância do disposto no número seguinte e nos termos da lei, participar na execução da política criminal definida pelos órgãos de soberania, exercer a acção penal orientada pelo princípio da legalidade e defender a legalidade democrática.

2. O Ministério Público goza de estatuto próprio e de autonomia, nos termos da lei.

3. A lei estabelece formas especiais de assessoria junto do Ministério Público nos casos dos crimes estritamente militares.

4. Os agentes do Ministério Público são magistrados responsáveis, hierarquicamente subordinados, e não podem ser transferidos, suspensos, aposentados ou demitidos senão nos casos previstos na lei.

5. A nomeação, colocação, transferência e promoção dos agentes do Ministério Público e o exercício da acção disciplinar competem à Procuradoria-Geral da República.

Extraído da Constituição da República Portuguesa

 

 

Ficava a faltar a cereja no topo do bolo: os bancos a apadrinhar congressos desta classe, que ninguém pune e comporta-se como sendo enviada de Deus, ou do Ser Transcendente (para os agnósticos), à terra.

 


 

NB: repararam nos momentos de diversão – intitularam de programa social, é mais elegante – dos acompanhantes? Ora espreitem:

 

Programa Social

 

Programa Social para Acompanhantes

 

DIA 1 – QUINTA-FEIRA

18h00 – 20h30 | Acreditação

20h00 | Recepção, com prova de produtos regionais, no Centro Cultural de S. Lourenço, em Almancil, com música ao vivo.

Partida do Hotel em autocarro e regresso ao Hotel Tivoli Vilamoura